07 de maio de 2020 - Fonte: G1 - Fotógrafo: Divulgação
Documento de veículos será disponibilizado na versão digital
Unidades foram fechadas devido à quarentena. Serviço digital será oferecido a partir de quinta-feira (7).

O Governo de São Paulo anunciou nesta quarta-feira (6) que lançará o Poupatempo Digital que oferecerá mais de 60 serviços à população, entre eles, a emissão da segunda via e renovação da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), da carteira de trabalho digital e o acesso ao seguro desemprego.

A previsão é a de que os serviços passem a ser oferecidos na quinta-feira (7).


"O Governo de São Paulo lança a partir de amanhã o Poupatempo Digital com mais de 60 serviços online.

No momento do distanciamento social, da dificuldade natural que as pessoas têm por conta da orientação de ficar em casa, a utilização do serviço digital facilita e poupa o tempo das pessoas", disse o governador João Doria (PSDB) em coletiva de imprensa.

"Você não precisa e não deve sair da sua casa. São mais de 60 serviços online entre os quais eu destaco a segunda via e renovação da Carteira Nacional de Habilitação, o acesso ao seguro desemprego, a emissão da Carteira de Trabalho digital, o atestado de antecedentes criminais, serviços da CDHU e da Sabesp em SP, entre outros serviços", completou.

Para acessar os serviços basta baixar o aplicativo 'Poupatempo Digital', que está disponível para Android e IOS.

O login e senha utilizados podem ser os mesmos que o cidadão acessa o site do Poupatempo. A plataforma foi desenvolvida pela empresa de tecnologia do Governo de São Paulo (Prodesp).

“A versão digital do Poupatempo permite realizar atendimentos através de um único aplicativo, sem precisar buscar outros canais, e com a garantia de que se trata de um app oficial do Governo de São Paulo.

O uso é bastante fácil e intuitivo, possibilitando, inclusive, editar a tela principal com os serviços que mais interessam aos usuários”, destaca o superintendente da Prodesp, Ernesto Mascellani Neto.

As unidades do Poupatempo foram fechadas desde o dia 24 de março devido ao decreto que suspendeu serviços não essenciais durante a pandemia do coronavírus.

No dia 29 de abril, a Defensoria Pública ajuizou uma ação para garantir o acesso à solicitação de documentos pessoais no estado de São Paulo.

G1