20 de fevereiro de 2021 - Fonte: siga mais - Fotógrafo: Ricardo Bispo/AdamantinaNet
Adriana Alkmin Pereira Domingues, diretora da Penitenciária Feminina de Tupi Paulista, e os juízes Ruth Menegatti e Carlos Scarazzato
Em Adamantina, Santa Casa, PAI Nosso Lar e Lar dos Velhos receberam kits com 1.200 peças.

Uma iniciativa do Poder Judiciário das comarcas de Adamantina, Lucélia, Osvaldo Cruz e Tupã, em parceria com a Penitenciária Feminina de Tupi Paulista, Penitenciária de Osvaldo Cruz, Ministério Público, FUNAP (Fundação Prof. Dr. Manoel Pedro Pimentel), Centro Paula Souza e empresas da região, possibilitou a viabilização de recursos, cooperação, compra de materiais e a confecção de 4.791 peças de lençóis e fronhas, que foram agrupadas em kits e distribuídas para 17 entidades hospitalares e assistenciais em oito cidades da Nova Alta Paulista.

A entrega do último lote de kits, com 1.260 peças, aconteceu na tarde desta sexta-feira (19), no Fórum de Adamantina, onde nasceu a iniciativa e está o núcleo responsável pela captação, aplicação dos recursos e fiscalização da produção.

Na cidade, foram contempladas a Santa Casa de Adamantina, que recebeu 102 sobre lençol, 102 lençóis padrão, 20 lençóis maca com elástico, 28 lençóis berço, 130 fronhas (padrão + berço) e 102 lençóis traçados. O Lar dos Velhos recebeu 94 lençóis padrão, 4 lençóis casal e 102 fronhas. Já a Clínica PAI Nosso Lar recebeu 288 lençóis com elástico e 288 fronhas (Veja abaixo todos as instituições beneficiadas e as quantidades).

Suprir rouparia de cama com qualidade

Em nota à imprensa, os mobilizadores da iniciativa explicam como o projeto foi formatado e executado. Eles abrem o texto expondo terem percebido que muitas instituições beneficentes (especialmente unidades hospitalares, de abrigamento de pessoas carentes e asilos), despendiam valores significativos para a compra de “roupas de cama”, para atendimento de seus assistidos. Além do aspecto quantitativo, e em razão do alto custo desses materiais, muitas das compras, feitas por essas instituições, recai em produtos de menor custo e menor qualidade, que logo se deterioram nos procedimentos de limpeza e higienização.

E ao lado da questão econômica – descreve a nota – foi imaginado também a possibilidade de dar a enfermos e idosos um conforto adequado a minorar o sofrimento pelo que passam. Daí a ideia de unir recursos e foça de trabalho voluntária para a confecção de rouparia de cama hospitalar e assistencial de altíssima qualidade, em algodão especial 180 fios, que trouxesse carinho às pessoas necessitadas.

A partir da constatação da necessidade e da definição desse propósito, foi iniciada a mobilização para o levantamento dos recursos financeiros necessários à execução do projeto, sendo incorporadas receitas obtidas com a aplicação de penas de prestação pecuniária e transações penais nas quatro comarcas envolvidas.

Com essa condição, os juízes das cidades de Adamantina (Ruth Duarte Menegatti e Carlos Gustavo Urquiza Scarazzato), Lucélia (André Livonezi), Osvaldo Cruz (Paolo Pelegrini Junior) e Tupã (Fábio José Vasconcelos), com o apoio dos juízes do DEECRIM (Departamento de Execuções Criminais) responsáveis pelo acompanhamento do cumprimento de penas dos condenados da região, e Ministério Público (na pessoa da promotora de justiça em Adamantina Viviane Zaniboni Ferreira Barrueco), conseguiram custear materiais que seriam necessários a confecção de “rouparia hospitalar e assistencial” para as entidades beneficentes.

Porém, estes recursos seriam inúteis sem qualificação e força de trabalho adequada.

Nesse ponto, entra a participação da diretora da Penitenciária Feminina de Tupi Paulista, Adriana Alkmin Pereira Domingues, e servidores da unidade, que disponibilizaram de mão de obra das sentenciadas, enquanto a FUNAP cedeu o uso das máquinas para a costura dos jogos de cama. A nota cita também o apoio do diretor da Penitenciária de Osvaldo Cruz, Jesus Ross, que providenciou os meios necessários para a impressão do nome de cada uma das entidades, nas peças, medida necessária a evitar o desvio das mesmas. (Continua após a publicidade...)


Mobilização de parceiros

Contudo, de acordo com a nota, ainda faltava ao projeto o toque de especialização na atividade, que foi suprido pela integração no grupo de voluntários da empresa Portage, de Adamantina, e Trinys, de Osvaldo Cruz.

A empresa Portage – à época por meio do já saudoso José Gomes, pelo proprietário Giovane Gomes e pela coordenadora Alexandra – providenciou a compra de todo o material a preço de baixo custo, além de preparar o corte do tecido em tamanhos adequados ao manejo. Isso sem contar em todo o apoio técnico de instrução da forma de costura das peças. Já a empresa Trinys forneceu o material de impressão (silk) e as maquinas, capacitando os presos de Osvaldo Cruz.

A par destas atividades, a Penitenciária de Tupi Paulista conseguiu a integração do projeto com o Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza, que deu qualificação técnica às reeducandas para a execução do projeto, entregando a estas, ao final, certificado de capacitação que auxiliará na futura realocação profissional, quando da finalização de suas penas.

De acordo com a nota, 60 presas foram beneficiadas nesta fase do projeto, que agora possuem certificado de capacitação pelo Centro Paula Souza, sem registro de que foi realizado durante o tempo de prisão, com carga horária de 160/horas aula.

Quase 5 mil peças produzidas e entregues

Ao final da ação, os mobilizadores apresentam o balanço e alcance da iniciativa, sendo produzidas 4.791 peças, todas entregues aos seus destinatários finais. Veja:

Comarca de Lucélia

• Irmandade Santa Casa de Misericórdia de Lucélia: 250 kits Padrão

• Lar Batista de Crianças de Inúbia Paulista: 100 kits Padrão

• Lar dos Velhos de Inúbia Paulista :50 kits Padrão

Comarca de Osvaldo Cruz

• Irmandade Santa Casa de Misericórdia de Osvaldo Cruz :120 Kits Padrão -

• Lar São Vicente de Paulo de Osvaldo Cruz: 40 kits Padrão

• CATOC Centro de Apoio Terapêutico de Osvaldo Cruz:20 kits Padrão

• Prefeitura Municipal de Osvaldo Cruz- 20 kits Padrão

• Casa Da Esperança Emil Wirth de Salmourão: 40 kits Padrão

• Lar dos Velhos de Parapuã: 70 kits Padrão

• Irmandade Santa Casa de Misericórdia de Parapuã :100 kits Padrão

Comarca de Tupã

• Irmandade Santa Casa de Misericórdia de Tupã: 190 sobre lençol + 230 lençóis + 230 fronhas

• CERVIDA Tupã: 45 kits Padrão

• Instituição Casa Dos Velhos de Tupã: 80 fronhas +160 lençóis

• Hospital Beneficente São Jose de Herculândia: 50 kits Padrão

Comarca de Adamantina

• Lar dos Velhos de Adamantina: 94 lençóis padrão + 4 lençóis casal + 102 fronhas

• PAI Nosso Lar :288 Lençol com elástico + 288 Fronhas

• Irmandade Santa Casa de Misericórdia de Adamantina:102 sobre lençol + 102 lençóis padrão +20 lençóis maca com elástico + 28 lençóis berço + 130 fronhas (padrão + berço) + 102 traçados padrão.

Fonte: Siga Mais