13 de julho de 2016 - Fonte: Carlos Eduardo Alves de Oliveira - Fotógrafo: Ilustrativa

A crise dos empregos formais segundo dados do Ministério do Trabalho e Previdência Social.

Conforme dados publicados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), somente no mês de maio de 2016 foram eliminados 72.615 empregos formais pelo país, o que representa uma retração de 0,18% em relação ao mês de abril do mesmo ano.

Os dados são ainda mais alarmantes se considerarmos a soma do acumulado dos últimos 12 meses, que confirmam o fechamento de 1.781.906 (um milhão, setecentos e oitenta e um mil, novecentos e seis) postos de trabalho formais, o que evidencia o momento sombrio que atravessa a economia do país.

A Agropecuária e a Administração Pública foram os únicos setores a apresentar saldo positivo no mês de maio de 2016, com a criação de 44.508 empregos celetistas pelo país. 

Entre os estados do sul, o Paraná ocupa a 20º posição do ranking nacional, com saldo negativo de 3.388, enquanto que, Santa Catarina, na 23º posição, encerrou 4.815 empregos, já o estado do Rio Grande do Sul, em situação alarmante, ocupa a 27º posição, tendo encerrado 15.829 empregos formais.

Valido lembrar que os estados com maior concentração do Produto Interno Bruto – PIB (1º - São Paulo, 2º - Rio de Janeiro, 3º - Minas Gerais, 4º - Paraná, 5º - Rio Grande do Sul) são respectivamente os que ocupam as piores posições no ranking de empregabilidade (27º - Rio Grande do Sul, 26º - Rio de Janeiro, 25º - São Paulo, 23º - Santa Catarina, 20º - Paraná). 

Estes 5 estados encerraram sozinhos 51.897 empregos, o que representa 70% das vagas encerradas pelo Brasil. Isso demonstra que os Estados que mais produzem, são igualmente os mais afetados pela crise. Demonstra ainda, a urgente necessidade de dar folego ao empresário, para que em um primeiro momento a economia se estabilize, e em um futuro (ainda imprevisível) volte a se desenvolver.  

* Carlos Eduardo Alves de Oliveira é membro da área tributária do Escritório A. Augusto Grellert Advogados Associados.

* As publicações desta coluna, são de inteira responsabilidade da colunista. Não expressando a real opinião deste Portal